Motivos E Percepções De Adolescentes

by Olga Paiva (06.09.2018)

Email Reply

Motivos E Percepções De Adolescentes Realmente, tempo passa muito rápido que, quando a gente dá conta, ele já está lá na frente nos esperando. Silva, Batista e Oliveira (2002 apud SATELES, 2009) enfatizam a importância da participação do profissional enfermeiro na educação sexual da adolescente, uma vez que conhecimento que elas detêm, em relação à sexualidade e aos métodos contraceptivos, é limitado, sendo possível fazer a leitura de uma visão superficial de como evitar a gravidez. No processo de iniciação sexual que se predomina nos adolescentes principalmente os do sexo masculino é a masturbação revela-se como uma pratica bastante comum, sendo vista de forma construtiva pelo fato do autoconhecimento de si próprio, são atribuídos a masturbação diversos sentidos como: algo natural, descoberta do prazer no próprio corpo e preparo para a relação sexual. Programa de Saúde da Família: enfermeiro na atenção a saúde da mulher. Para se obter uma diminuição destes riscos são necessários investimentos estruturais em nossa sociedade, principalmente no que diz respeito ao acesso universal à educação e saúde. Sem dúvidas, em um ambiente de educação especial é necessário, que os profissionais sejam treinados para lidar especificamente com a deficiente intelectual, compreendendo que esta não é um aspecto à parte do indivíduo, bem como com a própria educação sexual. A condição de mãe talvez signifique para essas adolescentes a necessidade de se reinventarem, uma vez que não encontraram lugar para si, com a gravidez as meninas abrem para possibilidade de criar - uma obra um filho. Reconhecendo as variações comportamentais percorridas pelos adolescentes nos diferentes estágios de desenvolvimento, profissional necessita compreender que irá se deparar no cotidiano com adolescentes de personalidades diversas, aqueles que se comunicam naturalmente, com facilidade, clareza, sinceridade e que confiam no atendimento profissional, seguindo corretamente prescrições e mantém acompanhamento na unidade. Os diferenciais quanto à idade no nascimento do primeiro filho são bastante evidentes entre as regiões: comparando Sudeste, especificamente Rio de Janeiro, local onde as mulheres têm filhos mais tarde, com a região Norte, onde iniciam mais cedo, diferencial foi de 3,4 anos. Ao longo da construção da política e na medida em que os documentos oficiais principais foram sendo aprovados - a Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS), a primeira e a nova Política Nacional de Assistência Social (PNAS) - foi gerada também a ideia de centralidade na família”, de forma que não é mais possível falar de assistência social sem fazer referência à família. Nesta característica da adolescência papel da família e da sociedade torna tudo praticamente impossível para jovem, pois lhe impõem algo já formado por eles e que tende a ser seguido. Um aspecto importante é que fatores de risco para disfunção erétil ou doenças concomitantes que levam a dificuldade de ereção devem ser tratados adequadamente e via de regra paciente terá de modificar seu estilo de vida. objetivo do trabalho consiste em identificar índice de sexualidade na adolescência. A maioria dos disléxicos não apresenta eventos de alto risco em suas histórias pré-natal ou perinatal, nem apresenta atrasos nítidos nos aspectos fundamentais do desenvolvimento disfunção eretil Luiza inicial, embora possam estar presentes, em algumas histórias, leves problemas articulatórios e de retardo na fala. segundo eixo é centrado nos núcleos das sete jornadas distribuídas no Município de Jequié, tem como objetivo ampliar universo cultural das crianças e adolescentes que são atendidos pelo programa, respeitando-os em particular e que na maioria são pessoas carentes e com problemas peculiares, necessitando muitas vezes os mais vulneráveis de acompanhamento específico. Nesse contexto, as agências, cujo papel foi ampliado a partir do aperfeiçoamento dos meios de comunicação, detectaram, mediante pesquisas, que as crianças e os jovens eram responsáveis por expressiva porcentagem do consumo nas famílias. Parafraseando Marx (1844) talvez a criação do PROERD seja a criação do "ópio" que entorpecerá os jovens e alegrará os pais com uma falsa idéia de que sistema político brasileiro está realmente preocupado com a inserção do grande número de crianças e adolescentes que, tão precocemente, estão se envolvendo com as drogas. BEZERA, P, E.; PINHEIRO, C, N, P.; BARROSO, T, G, M.; Ação educativa do enfermeiro na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis: uma investigação a partir das adolescentes, Rio de Janeiro, Escola Ana Nery Revista de enfermagem, 12(3): 522-28,2008.



This website uses cookies

You consent to our cookies if you continue to use our website.

About Cookies